quinta-feira, abril 30, 2009

Sequências versus Filmes

Fala-se muito que há uma dita crise de criatividade em Hollywood, que ideias originais não estão surgindo, o dinheiro não está entrando e todos produtores preferem ser prudentes e apostar em fórmulas que já possuem quórum e seriam mais facilmente recebidas, garantindo um retorno certo do investimento realizado. Aí se enquadram as adaptações, de que falei semana passada, e as ditas sequências: continuações de fórmulas originais que já se mostraram bem sucedidas.

Elas são naturalmente eficazes, o público tem ansiedade por saber o que aconteceu com seu personagem predileto, seu desenvolvimento, características adicionais e até mesmo ter conhecimento sobre pontas soltas que foram deixadas nos filmes anteriores e podem ser explicadas agora. Porém, todos reclamam das sequências. Dizem que o primeiro foi melhor, que os seguintes se venderam ao mercado, não mantiveram o nível, foram feitas com fins comerciais, etc. O quanto disso é verdade e o quanto é discurso pronto de fãs xiitas?

ORIGENS: SEQUÊNCIAS

Com o perdão sobre o trocadilho, alguns números são bem interessantes a respeito das sequências no cinema. Por exemplo, a produção da lendária TROMA, Quatermass 2 foi o primeiro filme na história a conter em seu título oficial um número indicando continuação. Ou seja, teoricamente foi a primeira sequência da história.

Outros números interessantes são a respeito de quantidade de sequências já realizadas. O Filme Sexta-Feira 13, estrelado por Jason Voorhees, possui dez filmes. Onze se contarmos o mais recente em que ele contracena com Freddy Krueger, que protagoniza sete A Hora do Pesadelo. Hellraiser e Halloween tiveram, até agora, oito filmes com seu título, enquanto Jogos Mortais se encerrará na sexta sequência, depois de estrear nos cinemas em seis anos seguidos sempre no Halloween. Percebe-se que os filmes de terror usam muito bem esse recurso, talvez porque o fato da história ser a mesma, apenas contada de forma diferente não atrapalhe o sucesso dos thrillers de assassinos em série.

Mas não são só eles que dominam as sequências! James Bond, evidentemente, já contabiliza 22 filmes em seu nome, e sempre com as marcas registradas de sempre – que não vou falar quais são aqui, futuramente farei um post apenas sobre elas! Loucademia de Polícia chegou à sexta sequência; Jornada nas Estrelas chegou ao excelente número de 10 filmes; Star Wars contabiliza seis filmes, fora as animações; Harry Potter terá sete filmagens; Rocky chegou a seis sequências, apesar da juventude de Stallone não ser eterna; e ainda temos a enxurrada das Parte IV: Indiana Jones, Rambo, Duro de Matar, Um Tira da Pesada, etc.

E se quisermos ver os personagens mais retratados nas telonas, o número fica um pouco maior. Segundo o Guinness, até 2003, Drácula tinha aparecido em nada menos do que 162 filmes. 162 fucking filmes! Franknstein deu o ar da graça em 117, e Sherlock Holmes é outra personalidade que supera a casa das 100 filmagens. Nada mal, hein? E olha que nem citei filmes pornôs…

SEQUÊNCIA BOA OU SEQUÊNCIA RUIM?

É comum e até mesmo cômodo para todos humanos apenas generalizar aquilo que não tem conhecimento mais aprofundado, obviamente, para que se esforçar procurando informações detalhadas sobre um tema se você pode pegar apenas alguns exemplos que você tem conhecimento e jogar como se fosse uma verdade absoluta aplicável a todos os casos?

Enfim. O problema é basicamente o mesmo que eu comentei em minha última postagem sobre adaptações: o capitalismo. Quando você cria a sequência para um filme apenas porque a primeira filmagem lhe rendeu bons lucros e você deseja maximizá-los, ou pelo menos seguir no embalo. Veja que é uma situação particular. Ocorrem muitos casos em que um filme é lançado já com o pré-projeto da sequência, que será efetivada se o original obtiver bons resultados. Nesses casos há uma adaptação do roteiro para que essa sequência seja coerente com a história. Digo, há um planejamento para isso. Pode ser o caso também de um filme que não pretendia fazer uma sequência, mas houve uma comoção generalizada nesse sentido e toda equipe original sentou com calma e elaborou algo que não ferisse a memória dos antigos filmes. Foi o que houve com Indiana Jones.

Todos esses são casos especiais, de obras que foram feitas com inteligência e planejamento, fora a dedicação e amor à obra. São os casos, raros, de produtores que fizeram sequências com a cabeça, e não com o bolso. É isso o que as estraga. Assim como muitas adaptações apenas querem sugar o dinheiro de fãs de certas obras para que eles vejam atores de renome fantasiados do personagem que têm apreço, muitas sequências são apenas aspiradores de grana dos fãs que querem mais uma história daquele personagem que adoram.

O grande problema ocorre quando a sequência não mostra a continuação da história, mas sim o que o fã quer ver. Foi o que aconteceu com Homem-Aranha 3, não que alguém quisesse um Aranha Emo (isso foi invenção do Raimi para tentar 'modernizá-lo), mas empurrar três vilões em um filme de pouco mais de três horas, sendo um deles o complexo e fascinante Venon, foi crocodilagem de fã que acabou com a história. Agora o quarto filme está sendo feito com calma, tranquilidade, sem euforia, nem imagens vazando na internet. Promete ser algo muito melhor.

Basicamente é isso, critiquei as generalizações, mas o comum é que sequências planejadas sejam melhor trabalhadas. E que sejam uma coisa para os fãs, e não manipuladas pelos fãs – não que o cinema e a TV não cheguem a isso um dia, mas não se pode render a opiniões divergentes de fãs para estabelecer diretrizes de uma sequência, com o único intuito de lucrar em cima desses anseios. O manjado fanservice.

BÔNUS! – TRILOGIAS!

Uma das categorias de sequência mais utilizadas e, consequentemente, mas vezes alvo de críticas quanto à queda de qualidade são, sem dúvidas, as trilogias! É mais comum também encontrar algumas com qualidade equiparável, pois existe uma maior proporção de trilogias planejadas, realmente histórias divididas em Parte I, II e III.

Apesar disso, nem todos casos são assim. E aí vem o Bônus! O blog DanMeth.com pertence a um cartunista bastante criativo, que tem trabalhos interessantes. ESSE foi uma das suas sacadas geniais, é um avaliador de trilogias composto por barras justapostas, como se fossem barras de power. Confiram, é muito interessante! E como seriam as suas? Han? Divirtam-se com ela!

Créditos: números a respeito das sequências extraídos do site do MundoEstranho, e a indicação do DanMeth.com foi da revista SuperInteressante. Acessem o site de ambas, comprem as revistas, é bastante interessante!

That's All, Folks!!!

3 comentários:

B-prime disse...

e ainda temos a enxurrada das Parte VI...

mas é parte IV, neh???

Paco D. Lee disse...

OPS, obrigado pela correção. XD

Eduardo disse...

Só mais uma correção, Harry Potter terá oito filmes... O último vai ser dividido em duas partes