quinta-feira, maio 07, 2009

10 Bons Filmes de Ficção Científica

Oi, eu sou a Aline. Sou a nova colaboradora do blog convidada pelo Thyago, sendo que ele e o Bráulio que me aplicaram testes psicotécnicos e de conhecimentos gerais ultra-hards para que eu fosse aceita.

Ou não.

Este é meu primeiro texto extenso para um blog, então perdoem meus erros toscos de coerência e meu vocabulário sujo e cheio de vícios. Certo, vamos lá.

O cinema é basicamente feito para contar histórias, sendo elas fatos verídicos ou invenções, servem para uma simples função: entreter. Se há um gênero cinematográfico que eu amo, é a Ficção Científica. Adoro. Sério. O que é melhor do que ver carne e ossos humanos voando pelos ares? É obvio! Carne e ossos alienígenas voando! Tudo bem, a ficção científica também tem seu fundo de verdade. E tem certa seriedade (dependendo do filme).

Levando em consideração requisitos necessários para se considerar um filme de ficção realmente BOM, como história, efeitos especiais, trilha sonora, atuação, etc., separei 10 filmes que em minha opinião, logicamente, são obrigatórios. Segue a Lista.


10. Matrix

Pelo menos um filme, tem que ser modinha na lista, okay? Antes que digam “PÔ ALINE, NUNCA OUVI FALAR DE NENHUM DESSES FILMES AÍ”, ao menos Matrix todos devem ter ouvido falar.

Basicamente? Um Keanu Reeves inexpressivo e desprovido de carisma descobre que vive sob a dominação das máquinas, que adquiriram personalidade própria. Após lutas homéricas contra um inimigo centenas de vezes mais carismático que o protagonista, Keanu vira Neo, um possível herói da humanidade. A Carrie-Anne Moss como mocinha até que ficou legal, já que ela não tem uma beleza “transcedental” e atua bem. Enfim, tirando o Reeves, que eu desprezo como ator, Matrix é um filme excelente e até mesmo chocante. Apesar das duas péssimas seqüências, vale cada segundo.

Segue abaixo o trailer do filme, pra relembrar.


9. O Exterminador do Futuro

Que pôster supimpa, né, gente?

O filme Terminator poderia entrar na história como um dos filmes mais copiados da Indústria de Cinema. Sério, cara. Até a existência deste filme, os robôs de filmes de ficção eram criativos. Hoje, são na sua maioria cópias de um Arnold Schwarzenegger pré-governador da Califórnia marombado e sem sentimentos.

Devo admitir que só pude ver o Exterminador do Futuro 1 há uns 2 meses. E me arrependi amargamente de não ter assistido antes. Falando tecnicamente, o filme é bem bolado, com ótimos efeitos especiais (pra época, né?), atores ótimos (até porque o Arnold só tinha a mesma cara O FILME INTEIRO), e roteiro maravilhoso, com teorias mirabolantes sobre viagens no tempo, paradoxos temporais, etc. Tudo o que é necessário para um BOM filme de ação.

Enfim, vamos relembrar (ou não) do trailer tosquera e antigo do filme.

Não é uma coisa trash e mara? Chorei vendo o trailer aqui. Adoro esses trailers de filmes antigos, anteriores a 1990. Essa narração brega, detonando qualquer chance de existir algum suspense no trailer é ótima. Atualmente, filmes que têm essa narração, acredite, são toscos. Podem reparar.

Bem, o terceiro filme do Terminator foi uma grande porcaria. Vamos ver agora se esse Terminator: Salvation vai prestar pra alguma coisa.


8. Star Wars

Tá, não resisti. Tive que por essa imagem.

Admito que sou fã xiita de Star Wars. Então você pensa: “mas se ela é fã, ela deve ter colocado o filme na 8ª posição pra não ficar tão na cara que ela é fã de Star Wars, certo?”. Errado. Tem filmes melhores, apesar de não serem tão cultuados quanto essa maravilha de George Lucas.

Tio George Lucas acima. O da direita.

Enfim, por que Star Wars está na lista? Porque é foda, dizem os fãs. Não sei, dizem os odiadores de Star Wars. Fácil responder: efeitos especiais e história inovadora.

Com o sucesso absurdo de Star Wars, George Lucas conseguiu se tornar um dos maiores cineastas independentes do Cinema. Criou a milionária Indústria Light & Magic de efeitos especiais, que, notem, está presente em praticamente todos os filmes de ação, aventura, ficção, ou qualquer coisa do gênero dos últimos 15 anos.

Se isso não é alguma coisa para se destacar, não sei o que seria.

Mas falando do roteiro. Reparem na quantidade de filmes, programas, textos, comics que têm qualquer referência à Star Wars. Desde os sabres de luz, até as frases clássicas como “I am your father!”, “Noooooo!”, “Where’s Padmé?”, “Que a Força esteja com você”, e CENTENAS de outras.

Bom, eu poderia ficar horas a fio falando de Star Wars, mas não tenho tempo nem espaço para tal feito. Vamos para o próximo.


7. Planeta dos Macacos

Não tenho nada contra o Tim Burton. Na verdade, sou super fangirl dele, vejo tudo que ele dirige. Mas... Doeu-me o coração ao ver a refilmagem de Planeta dos Macacos. Antes de me explicar, tenham em mente: NÃO SE FAZ REFILMAGENS. NÃO SE FAZ! ISSO É HERESIA!

Pronto, desabafei.

Mas, olhando bem… O filme não ficou assim tão ruim. Mas uma refilmagem é uma refilmagem, e não uma coisa original.

Aí o cartaz da refilmagem. Bons atores no filme.

Enfim, Planeta dos Macacos era um filme que eu assistia todo mês com a minha avó, comendo pipoca de panela com guaraná gelado. Vovó era fãnzona do traficante, digo, colecionador de armas, Charlton Heston. E ele era gato mesmo quando novo... Ah, isso era. E Planeta dos Macacos não é lá um filme com efeitos especiais mirabolantes. De fato, tais efeitos eram precários, a maquiagem era horrorosa, os macacos pareciam mais uns orangotangos anoréxicos, e a cena do beijo entre George Taylor e a macaca é nojenta. Algumas pessoas tendem a dizer isso... MAS NÓS ESTAMOS FALANDO DE UM FILME DE 1968!!!

ONDE QUE UM FILME DA DÉCADA DE 60 PODERIA SE COMPARAR À TECNOLOGIA DE HOJE??? HEIN? HEIN? HEEEIN?

Eis o beijo da macaca.

É por isso que eu acredito na noção de que: se você não gosta de ver filmes antigos porque são malfeitos, não os assista, e se mate. Sério. Por que vocês não imaginam a decepção que eu senti no momento em que assisti O Planeta dos Macacos refeito depravadamente, com um final estúpido quando comparado ao do filme original.

PÔ, CARA, A CENA MAIS FODA DO FILME É O FINAL!

Concluindo, o Planeta dos Macacos BOM, é o de 1968. E é dele que eu falo aqui. A história se resume em: Astronauta se perde da sua nave principal, e cai num planeta parecido com a Terra. Lá, ele é preso e tratado como escravo por uma população inteligente e superior de SÍMIOS. Os humanos eram seus servos. Então, junto a uma macaca que gosta dele, ele busca saber o que aconteceu naquele planeta. O final do filme vale cada segundo.

Trailer do filme:

Trailer legal. E olha que é de 1968.


6. Donnie Darko

Talvez esse seja o único filme da lista que selecionei apenas por causa do roteiro. É um filme dificílimo de entender, com reviravoltas insanas e personagens sinistros, que fazem todo sentido no final. É o tipo de filme em que você deve assistir sozinho, ou em companhia de uma pessoa com Q.I. suficiente para entender o Círculo de Krebs.

A história é passada numa cidadezinha americana em que certa noite, um adolescente chamado Donnie Darko é acordado por um cara estranho vestido de coelho, cujo nome é Frank. Ele lhe diz apenas que o mundo se acabaria em 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 16 segundos. A partir daí, a história passa a refletir sobre viagens no tempo, buracos de minhoca, paradoxo temporal, universos tangentes e ações de proporções apocalípticas.

É um filme que poderia servir de análise pra dois ou mais artigos, então não vejo por que me aprofundar nele neste momento. É um filme fantástico, cheio de enigmas e para reflexão. Só as aparições de Frank valem cada segundo.

Melhor diálogo do filme:
- Por que usa essa fantasia idiota de coelho?
- Por que está usando essa fantasia idiota de homem?


Só esta cena me dá calafrios na espinha, e vale a posição do filme nesta lista.


5. Os 12 Macacos

Filme de 1996, com Bruce Willis, Brad Pitt e Madeleine Stowe.

No ano de 1997 a humanidade é devastada por um vírus. O condenado James Cole, interpretado pelo ótimo Willis, é enviado ao passado para descobrir a origem de tal epidemia. Quando chega ao passado, é tido como louco e é internado em um hospício. Lá ele conhece uma psiquiatra que procura buscar a veracidade dos fatos alegados por Cole, e um internado interpretado por Brad Pitt, que futuramente criaria a Organização dos 12 Macacos, que é a única pista de Cole para a descoberta do autor da disseminação do vírus.

E esse filme foi dirigido pelo Terry Gillian, um ex-Monty Python!!!!

E é incrível como os filmes bons não ganham porra nenhuma de Oscar, não?

Trailer abaixo:

Filme ótimo, com um dos finais mais incríveis que já vi. Nada mais a acrescentar.


4. Alien – O Oitavo Passageiro


Antes de tudo, ignore as 356 seqüências de Alien, pois só a primeira presta. Exceto, talvez Alien IV, com a Winona Ryder, que até que foi um filme legalzinho.

Alien é DE LONGE um dos mais aterrorizantes filmes de ficção cientifica. Se duvidar, é o melhor de todos. Segundo vários críticos é o filme que marca a transição dos filmes de aliens bonitinhos, bonzinhos, verde-cabeçudos, para os filmes sobre aliens complexos, de corpos fisicamente possíveis, e sanguinários.

A historia é simples: no espaço, a nave Nostromo é invadida por um ser extraterrestre enorme e sedento de sangue. O resto é na base dos sustos, mesmo sendo um filme de 1979.

Cartaz do Filme Alien X Predador 2 (só pra mostrar o alien XD)

*Detalhe para o design inacreditável do Alien, baseado no crânio humano, que rendeu ao filme Oscar de Efeitos Visuais.

Trailer abaixo:


3. 2001 – Uma Odisséia no Espaço

Medo desse pôster.

Filme difícil, para se assistir 30 vezes, e continuar sem entender 100% do que o autor e o diretor queriam dizer. Cada vez que eu assisto, descubro algo novo. Juro. Desde as milhares de metáforas na cena do astronauta encontrando ele mesmo mais velho, quanto na cena de 3 minutos de respiração de um astronauta que sai no espaço para verificar as condições da nave.

Sou fangirl do diretor, Stanley Kubrick. Se me conheço bem, 80% dos meus textos terão as palavras “Kubrick” e “Tim Burton”. Paguem pra ver. E não é diferente neste filme.

Kubrick transformou um livro considerado inadaptável para o cinema em um clássico imortal do cinema. Acha pouco? A história dá um salto de mais de 300 milhões de anos no tempo, partindo da pré-história para o ano que dá título ao filme. Mais? Concorreu nas categorias do Oscar de Melhor Direção de Arte, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Diretor. Outra? Ganhou o Oscar de Efeitos Visuais. Além disso? A cena da nave se movimentando no espaço ao som de Danúbio Azul é mais famosa que a música em si. Cansou? Eu também.

A história do filme é complexa, filosófica e maravilhosa. Se você tem interesse ou não entendeu lhufas do filme, sugiro este site AQUI. É uma análise em flash sobre o filme com várias opções de linguagens, inclusive em português.


2. Blade Runner – O Caçador de Andróides

Mais um filme de Ridley Scott (o outro é Alien – O Oitavo Passageiro). Feito em 1982, o filme tem como atores principais Harrison Ford, Rutger Hauer e Sean Young. Filme tão bem feito que dói. As cenas de perseguições absurdamente complexas. A parte interna dos robôs. A visão apocalíptica das cidades modernas. A cena do Roy quebrando os dedos do Deckard *aiii*.

Cena dos dedos sendo quebrados a partir dos 2:00:

Sabem este ator que quebra os dedos do Harrison? Não? Sabia que não. O nome dele é Rutger Hauer. Um dos meus atores favoritos. Um dia vou fazer um artigo só sobre ele, quando tiver tempo. *-*

Trailer:

Num futuro próximo, a tecnologia chegou a tal ponto em que os robôs adquiriram a forma humana e são utilizados como escravos em vários tipos de trabalhos. Importante lembrar das leis criadas na década de 50 por Isaac Asimov: “1. Um robô não pode prejudicar nenhum ser humano; 2. Deve obedecer a ordens de humanos, exceto quando estas ordens vão contra a primeira lei; e 3. Deve preservar sua existência a não ser que isso entre em contradição com as duas primeiras leis.”.

O humano Deckard é contratado para encontrar e destruir um grupo de robôs acusados de matarem humanos, com o objetivo de encontrar seu criador e prolongar seu tempo de vida útil. Começa aí uma perseguição implacável (trocaralho do cadilho XD), e uma reflexão sobre a perda da compaixão humana ao longo do desenvolvimento da tecnologia, comércio e do capitalismo desenfreado. Especialmente pelo fato das autoridades tratarem os “replicantes” (robôs em forma humana) como objetos, apesar deles terem aparência humana, valores humanos e, como pode-se ver, sentimentos humanos. Afinal, todos têm direito de viver com dignidade. Porém, como diz o personagem replicante Gaff, “…Mas, quem vive afinal de contas?”.

Aqui está a cena final de Blade Runner. Com um dos diálogos mais lindos do cinema pra mim. Contém SPOILERS. Veja por sua conta e risco.

Ah sim. Este filme deu origem à TODOS os filmes sobre robôs que você ja viu desde a década de 90. TODOS. Homem Bicentenário, Eu Robô, A.I., tudo o que vocês imaginarem. Na época, Blade Runner foi detonado pela crítica e não fez sucesso. Hoje, é filme Cult Obrigatório.


1. Laranja Mecânica

Genial.

Melhor palavra para definir Laranja Mecânica.

Era uma vez um professor inglês muito empenhado em educar crianças da malásia, Anthony Burgess. Em 1959, recebeu um diagnóstico cruel: teria apenas mais alguns anos de vida. Desempregado e com 42 anos, Burgess preocupou-se com sua esposa, pois se ele morresse, iria deixá-la na miséria. Começou, então, a escrever livros alucinadamente, para que, quando ele morresse, sua esposa pudesse viver confortavelmente com o dinheiro dos Direitos Autorais.

Pouco antes da “data marcada” para seu falecimento, Burgess tinha em mãos apenas um rascunho não finalizado de um livro chamado “An Orange Clockwork”, traduzido como Laranja Mecânica. Ambientado num futuro próximo, falava de modo fictício sobre o nível insuportável que as gangues briguentas de jovens haviam se tornado, fazendo com que o governo respondesse à violência com mais violência.

Felizmente, Burgess não morreu na época determinada. De fato, ele morreu em 1993, com 76 anos. .-.

Mas enfim, como ele não morreu, pôde finalizar seu livro. O interessante é que ele usou como gírias para seus personagens palavras russas misturadas com inglês, criando o nadsat.

Tá, ninguém percebeu que sou fã do filme e do livro.

Um jovem diretor americano de sucesso, após dirigir um excelente 2001 – Uma Odisséia no Espaço, lê o livro e resolve adaptá-lo. Este diretor é Stanley Kubrick. E este seria um dos mais influentes filmes do cinema.

Kubrick chamou o talentoso Malcolm McDowell para interpretar o protagonista Alex. Um jovem de 15 anos, que é traído por seus amigos durante uma de suas saídas “pra badalar”, e é pego pela polícia. Para se livrar mais rapidamente da prisão, ele aceita se submeter ao Tratamento Ludovico, “uma terapia experimental de aversão, desenvolvida pelo governo como estratégia para deter o crime na sociedade. O tratamento consiste em ser exposto a formas extremas de violência, como ver um filme muito violento. Alex é incapaz de parar de assistir, pois seus olhos estão presos por um par de ganchos. Também é drogado antes de ver os filmes, para que associe as ações violentas com a dor que estas lhe provocam.

O tratamento o torna incapaz de qualquer ato de violência (nem mesmo em defesa própria), bem como de tocar uma mulher nua. Como efeito secundário, também não consegue ouvir a 9ª Sinfonia de Beethoven — que era sua peça favorita.” Fonte: Wikipedia.

Cena da lavagem cerebral editada:

O mais incrível do filme, e também o principal motivo de eu o ter colocado em 1º lugar, é a violência prevista na história que parecia ser utópica. Laranja Mecânica foi escrito na década de 60, e sua versão filmada é de 1971. Porém, o filme é tão atual que dá calafrios. É uma noção de um futuro que fica cada vez mais próximo.

Outra curiosidade é o nome do filme: “An Orange Clockwork”. A princípio, o nome não significa nada. Tal título foi retirado da frase em inglês “As queer as an orange clockwork”, num português precário, seria algo como “Tão estranho quanto uma laranja mecânica”. É uma forma de chamar uma pessoa de estranha, bizarra, até mesmo homossexual.

Trailer:

http://www.youtube.com/watch?v=igwIR7rDPQc

Uma curiosidade sobre o filme é que a cena do Alex cantando “I’m Singing in the Rain” enquanto espanca o casal, é que essa música só foi escolhida para a cena, porque era a única que o ator Malcolm McDowell sabia cantar inteira.

http://www.youtube.com/watch?v=faML0QvVb2A

Pra variar, não ganhou um Oscar sequer.

Outros filmes 

(Que não couberam na lista, ou não valiam a pena colocar)

- ET, o Extraterrestre

- Frankenstein de Mary Shelley, filme de Kenneth Branagh

- De volta para o Futuro

- Eclipse Mortal

- Mad Max

- A Máquina do tempo

- A Mosca

- Akira

- Wall-E

- Metrópolis (anime)

Tá bom esses :3

Espero que tenha ficado bom. Obrigada pela atenção.

17 comentários:

Steeef disse...

Gostei *-* Verei os que ainda não vi

Eduardo disse...

Falar que veio pra cá por "pressão do Bráulio" não soa nada bem xD

Ah, o Terminator Salvation é o 4, acho que você quis dizer que o ruim foi o 3, né(o 2 eu considero o melhor filme de ação de todos os tempos, junto com Duro de Matar)

E é meio que uma heresia que Star Trek 2: A Ira de Khan não esteja na lista xD

Fora isso, lista excelente

Pizardini disse...

Acho que De Volta Para o Futuro não devia ficar fora da lista. ç_ç

Thyago disse...

a lista tá excelente, parabéns line ^^
agora comece a escrever o próximo post e_e *afia peixeira*
XD

eu ainda PRECISO ver laranja mecânica, só não vou alugar agora pq não tem como eu ver um filme sossegado aqui em casa por estes dias.

Yoshi disse...

"Detalhe para o design inacreditável do Alien, baseado no crânio humano, que rendeu ao filme Oscar de Efeitos Visuais."nota: o design do alien é de um cara chamado Giger. dê uma passeada pelo google mesmo para ver as obras dele. o cara não bate bem das idéias.

Jasque disse...

Faltou mencionar alguns como

vingador do futuro
A.I
Star Trek 2, como o edu falou
Eu robô

mas legal a lista
exterminador do futuro, planeta dos macacos e star wars, sou viciado nesses xD

Jasque disse...

E thyago, recomendo o livro do laranja mecanica

nao li todo, mas me disseram q está anos luz acima do filme

Eduardomsc disse...

putz,o trailer de Terminator é toscão mesmo...

esse Donnie Darko parece ser bom,vou procurar pra ver,e Laranja Mecânica também,pq só vi um pedaço e não sabia que filme era,então não prestei atenção.

Ryan disse...

nunk vi donnie darko, mas soh pelo fato do pseudo cult intelectual do cheese gostar me abstenho de ver...

e, naum tem de volta pro futuro = FAIL

:D

Line Pumpkin disse...

Yoshi

putz amei as obras do cara *_*


coloquei a galeria dele nos favoritos *_*

Paulo_HT disse...

Donnie Darko é um dos melhores filmes que eu ja vi, mas nao sei se ele se encaixa em "ficção científica".

Edo disse...

Exelente lista!

Mas eu concordo com o Jasque, faltou O Vingador do Futuro. Arnold Schwarzenegger (Ctrl+C,Ctrl+V) nesse filme é foda... E aquela mulher de 3 peitos então! XD

Gabriel disse...

A lista tá bacana. Matrix (SÓ O PRIMEIRO, CLARO) e D.Darko ruleiam.(Y)

Mas se fosse minha lista.... WALL-E e MINORITY REPORT teriam presença garantida no top! Até "Eu,Robô" eu colocaria, mesmo apesar de todo o blá blá blá de que o filme não é tão bom. Eu gostei dele!

Line Pumpkin disse...

Eu, Robô é bom... mas é cópia descarada de Blade Runner... nem ta valendo...

Jaderson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaderson disse...

filme que eu vi onde as pessoas tem vida eterna e algumas ficam loucas , outras tentam morrer etc > all

bem, talvez não,mas eu quero reassistir...vi devia ter 10 anos ,chute.

Line Pumpkin disse...

Não faço ideia, fofis