sexta-feira, maio 08, 2009

Games que merecem ter uma sequência



Hoje irei falar dos games que marcaram época mas, por motivos obscuros, não tiveram uma sequência! Isso pode ocorrer por diversos fatores: os produtores originais do jogo seguiram com outros projetos, a softhouse que o publicou fechou ou simplesmente o jogo caiu no limbo do esquecimento.

Vale lembrar também que não sou uma biblioteca de jogos, caso eu inclua um jogo aqui e ele tenha tido uma sequência, me avise nos comentários.

Muito bem, vamos lá!

EARTHWORM JIM




Earthworm Jim é um dos jogos que conseguem quase explodir o medidor de "WTF?" dos videogames.
Pense bem: você é Jim, uma minhoca num traje espacial, enfrentando ordas de inimigos que... realmente não fazem a menor porra do sentido. Sério, os inimigos são inicialmente corvos que lhe atacam sem o menor motivo, cães raivosos com a buca espumando vírus da raiva...

Agora este jogo tem uma coisa que o deixa simplesmente sensacional: logo na primeira fase, você ARREMESSA UMA VACA SEM O MENOR MOTIVO.
E todos os jogos deviam permitir você arremessar alguma coisa sem menor motivo aparente, especialmente vacas.

E o que me deixa intrigado é o fato de que não temos nada dele planejado! Numa era de personagens que espirram testosterona e fazem uma suposta pose de "fodões", poder ter um protagonista que é uma minhoca e que lança vacas sem motivos aparentes seria algo muito bem vindo nesta geração.

PS: parece que meu texto não ficou muito claro que eu me referia à franquia, bem, a pedidos, adiciono que Earthworm Jim teve uma sequência no SNES, o Earthworm Jim 2, e uma no Nintendo 64.
E eu falei também que é uma franquia que foi esquecido mesmo, afinal, não temos nenhum game dela sendo produzida para esta geração.
Adicionado isto, vamos em frente.

SHADOW DANCER



Shadow Dancer é de longe um dos melhores jogos já lançados para o Mega Drive. Veja bem, você neste jogo é um ninja com um estoque infinito de shurikens, enfrentando ordas de outros ninjas que usam calças tão apertadas que mal conseguem esticar as pernas ao andar.
Sério, olha bem pra eles e me diga se o modo deles andarem não é no mínimo... suspeito?

Mas não é somente isto, ele tem como companheiro um CACHORRO!


(PEGA REX!)
E ele não é uma porcaria que atrapalhe você, lhe forçando a cuidar dele. Pelo contrário, ele avança em cima dos inimigos, prendendo eles com suas poderosas mandíbulas caninas (tá,exagerei na dramaticidade), deixando-os vulneráveis aos seus ataques.

E mesmo quando ele sofre algum dano, ele se torna em um filhotinho... que alguns segundos depois volta a ser um cachorro de tamanho normal.
Imagine você andando pela sua casa e pisa sem querer no rabo do seu cachorro. Isso o transforma imediatamente em um filhotinho! Isso seria deveras interessante (cães imortais, ficou velho basta pisar no rabo dele que ele vira filhote) se ele não voltasse para o tamanho normal.
O que ainda não tira a graça disto.

E jogos de ninjas nunca saem de moda. Claro, pode dar MUITO certo, como foi com Ninja Gaiden, ou pode dar MUITO ERRADO, como foi com Ninja Blade.
E Ninja Blade... argh, se mantenha longe daquilo.

BONANZA BROS



Bonanza Brothers foi um dos primeiros jogos a serem lançados com o Mega Drive. Ele não possuía gráficos espetaculares, mas nem por isso deixa de ser um jogo extremamente divertido. Veja bem, você encarna um dos Bonanza Brothers e precisa roubar preciosos itens de diferentes cenários. Pode ser um cassino, uma casa de um milionário, enfim, não importa, você apenas precisa roubar algo antes que os guardas do local consigam lhe dar uma encoxada.
Tá, eles podem lhe dar um tirinho com suas armas de bolinhas ou então lhe acertar com um cassetete.

E depois disso tudo você precisa se dirigir até a saída para fugir em seu discretíssimo... dirigível.
Hey, o meio de transporte funciona, se está servindo para eles fugirem, quem sou eu para duvidar?

E nós já temos a experiência que jogos de "ladrões" podem ser bons, ao menos o que eu li por aí sobre Kane and Lynch foi que ele era um jogo competente. Reparem que eu disse "li", ainda não joguei Kane and Lynch.

Enfim, é um ótimo jogo do Mega Drive que nem sequer no próprio Mega teve uma sequência.

U.N. SQUADRON


(ainda hoje me pergunto qual é o sentido do unicórnio aí)


U.N. Squadron tem muitas diferenças que o destaca dos outros shooters, afinal, nele você você vai escolhendo diferentes aviões e armas à medida que você vai subindo de nível e conseguindo dinheiro.
Além disso, a escolha das missões é algo muito mais estratégico, já que você tem que ir até os pontos do mapa derrotando as proteções da base inimiga e ainda precisa proteger sua base.
Mas tinha uma dificuldade que garantia visitas ao dentista pelo ranger nos dentes que nos causava.

Sem falar que é ISTO que sinto falta nesta geração, shooters! Em comparação ao que víamos na era 16-bit, hoje mal vemos um shooter ser produzido e que venha para o ocidente. No Japão tá cheio, mas aqui ainda tem uma grande escassez. As redes online estão ali para isto, trazer estes jogos mais simples que apenas nos deixam no meio da ação, e ainda sinto falta deste tipo de jogo.

E é por isso que gostaria de ver uma continuação deste jogo, poder jogar U.N. Squadron com suporte online para até 4 pessoas seria uma das coisas mais fodas a serem feitas nesta geração.
Mas não, invistam no jogo do 50 cent.
Malditos.

ACT RAISER




Act Raiser foi um dos primeiros jogos a saírem quando o Super Nintendo foi lançado e eu o considero o melhor já feito para a plataforma. Ele mistura elementos de jogos de RPG, de Sim City e de qualquer side-scroller competente, como os primeiros Castlevanias. E ele fazia isto sendo eficaz em cada quesito.

"Eita porra Thyago! Como um jogo consegue fazer isso tudo ao mesmo tempo?"

Bem, este jogo foi feito de forma tão bem trabalhada que ele algum dia ganhará um review exclusivo neste humilde blog em que colaboro. Mas para resumir, digamos que você é Deus neste jogo e vai chegando em determinadas partes do mundo para melhorar ele. "Como?" Oras, incorporando uma estátua de um cara com uma espada gigante, ÓBVIO! Ah sim, o jogo não faz nenhuma referência a nenhuma religião (a não ser por uma pirâmide, mas se alguém ainda acredita em algum deus egípcio... bem... boa sorte?) então fica apenas "emplícito" que você é um deus e precisa ajudar a humanidade.



Enfim, depois de matar os demônios daquela área, você entra na parte Sim City do jogo, que é extremamente simples e apenas pede que você mostre para qual direção a população daquela área deve se deslocar, construindo casas e fazendo planatações. No processo, você precisa protegê-los com um anjinho (que é seu conselheiro durante o jogo) atirando flechas em eventuais demônios que apareçam querendo sodomizar as virgens da população.

E o jogo é essencialmente assim e lhe garanto que é extremamente bom!


(parte "Sim City" do jogo)

"Thyago! Seu nerd tetudo! Eu fiz uma pequena pesquisa e vi que ele teve uma sequência! O Act Raser 2!"

Sim, mas veja bem: agora você é um surfista de longos cachos loiros que usa um roupão branco que tem asinhas. Usa um escudo e uma espadinha. E o jogo fica quase que totalmente focado na parte "side-scroll", isto é, ele se tornou um adventure genérico que na minha opinião ficou muito atrás do original. Ainda é algo jogável, mas não é nem sequer a unha encravada do primeiro.

Portanto, peço que a Square-Enix (o jogo era da Enix, que se fundiu com a Square... bah, você sabe da história toda) traga este brilhante jogo, mas baseado no game original, e não no joguinho genérico que foi o segundo.
DEMON'S CREST



Eu falei de Demon's Crest anteriormente, no tempo que este blog tinha o nome "Plot-Points".
Não sei como na época gostava deste nome para o blog, argh.

Já falei dele antes, mas farei um breve resumo: você é o demônio Firebrand, que logo que começa o jogo enfrenta um DRAGÃO ZUMBI GIGANTE. Sério, o primeiro desafio do jogo é enfrentar uma coisa bizarra deste nível. Com o passar do jogo, você irá adiquirindo novas habilidades, como a de voar para alturas maiores, respirar quando está debaixo da água, entre outras habilidades que lhe ajudarão a terminar as fases do jogo.

Enfim, Demon's Crest é um jogo que poderia facilmente ter uma sequência. Aliás, me pergunto porque até hoje ele não teve uma sequer para o PSP. É uma franquia que teve apenas um jogo (excelente, diga-se de passagem) e foi simplesmente abandonada. O fato dela ser um tanto que desconhecida colaborou para isto, mas garanto que não é por culpa do jogo.

STREETS OF RAGE



Streets of Rage é uma das melhores séries de jogos já feitas nos anos 90. E ele tinha a fórmula de todo ótimo Beat 'em Up: ande pela rua, sente a porrada em qualquer meliante que olhar feio para você e depois enfrente um chefe que sempre será um cara de dois metros e meio de altura musculoso pra caramba e com uma barra de life que tem mil cores.

E os donos de Mega Drive foram agraciados com mais outros dois jogos da franquia, o Streets of Rage 2 e, pouco tempo depois, o 3.
Mas a franquia morreu também na era 16-bit. Sério, queria entender porque muita franquia boa praticamente morreu na era 16-bit. Normalmente é algo que ocorre pelos criadores da série se engajar em outros projetos mas fala sério, Streets of Rage era um dos jogos que lhe faziam comprar um Mega Drive.

Seria perfeito ver esta franquia de volta nesta geração, mas daí me lembro o que aconteceu com Golden Axe quando a SEGA tentou ressucitar ele e bem... todos sabemos a merda que deu.

LEGACY OF KAIN: SOUL REAVER



E encerro este post com uma das franquias que mais me impressionaram quanto a sua história. Soul Reaver se passa centenas de anos depois da série Blood Omen, que era protagonizada por Kain e este se torna o senhor de toda Nosgoth após os término da série Blood Omen.

Um breve resumo da história de Blood Omen e Legacy of Kain, para quem nunca jogou nenhum dos games desta excelente série:

Na terra de Nosgoth, a terra está interligada com os Nove pilares de Nosgoth, que mantém a terra sadia e próspera. Porém um dia os guardiões dos pilares se corrompem e cabe a Kain assassiná-los para trazer e tornar novamente Nosgoth uma terra próspera. Porém, no final, Kain descobre ser um dos nove guardiões. No jogo, você deve escolher se sacrificar para livrar a terra da corrupção ou viver e governa-la.



Bem, Soul Reaver nos mostra que Kain deu um grande foda-se para Nosgoth, ficou vivo e começou a governar a porra toda.
Ele é um vampiro porra! Vampiros possuem o foda-se ligado o dia todo! (ou à noite... pois ele é um vampiro... você me entendeu)
Depois disso, começou a espalhar o terror e, junto com seus tenentes vampiros (dentre eles Raziel), começou a submeter toda Nosgoth à sua vontade.

Centenas de anos se passam, os humanos estão quase que completamente acabados. Cada uma das tribos de vampiros se tornaram senhores de diferentes partes de Nosgoth e começaram a se preocupar com problemas mais internos.
Enfim, sem enrolar mais, Raziel estava mostrando que evoluía de forma mais rápida do que os outros vampiros em certo ponto e causou inveja em Kain, que o mata lançando em um precipício... bem, acho que o resto é melhor você mesmo ver, clicando aqui.

Pois bem, Raziel se torna uma espécie de espectro e volta ao mundo dos vivos com a ajuda de uma espécia de "Deus Antigo".


E isso só é o começo da história, ela fica cada vez mais interessante.

Quanto à jogabilidade, você pode ficar variando entre o mundo real e o espiritual, sendo que no espiritual várias coisas ficam distorcidas e você possui algumas habilidades exclusivas dele, como atravessar grades após ganhar esta habilidade.

"Uau Thyago, um jogo do caralho desses não teve uma sequência?"

Ele teve sim! Legacy of Kain: Soul Reaver 2 e Legacy of Kain: Defiance!
"Mas então ele teve sequências, seu cavalo de tetas!"

Caaaalma meu jovem, não é bem assim. Eu não quero dar Spoilers, mas a forma que Legacy of Kain: Defiance (que é o último jogo da série) terminou, é mais do que claro que é necessária uma continuação. Sério, vocês não vão querer que eu estrague o final deste jogo, vá você mesmo atrás de jogar todos eles.

"Sim, mas o Defiance saiu até mesmo que a pouco tempo - em 2003 - então já devem ter uma sequência a caminho, certo?"

Infelizmente não. Não vejo nada de uma sequência ser comentada ou produzida, NADA. E olha que o game foi um sucesso na crítica especializada.

E pelo tamanho do post dedicado a Soul Reaver, você pode notar o quanto gosto da série.

Enfim, estes foram os jogos que achei necessário terem uma sequência, caso vocês pensem em mais algum, basta gritar nos comentários!
Até!

17 comentários:

Eduardo disse...

Só uma pequena correção, o nome do jogo não é "Kevin & Lynch", é "Kane & Lynch" xD

E teve um Earthworm Jim pra Nintendo 64, mas não foi tão bom como o original... Talvez por isso não tenham continuado a série

Thyago disse...

opa @_@
*correndo para ir corrigir*
XD

Gusta disse...

Earthworm Jim era foda! Muito sem noção, mas muito legal também. XD

Line Pumpkin disse...

Earthworm Jim *_*


faltou na lista a 723ª sequencia de Zelda XD

Paulo_HT disse...

na minha opinião Shadow of the Colossus tambem merece uma continuação

Thycianne disse...

mas Shadow of the Colossus já tem uma continuação...
um tal de ICO XD

Ryan disse...

shadow of the colossus e ICO naum tem ligação no q se refere a historia e ICO foi lançado antes...

e soul reaver eh muuuuito foda...

Bebs disse...

Ai Thy, gosto demais do jeito que você escreve, eu sempre me acabo de rir! hahahahahh

"que conseguem quase explodir o medidor de "WTF?" dos videogames"

Boto fé no medidor "de WTF?". xD

Poxa, eu queria tanto uma continuação (decente, por favor) de Shadow Dancer, Streets fof Rage e Soul Reaver! T___T

Batsuman disse...

Conker.

e... a imagem que ilustra o tema do seu post não tem nada ve =X tiops.. a cada jogo "zelda" é uma coisa nova.. a única sequencia direta que teve foi Wind Waker - Phantom Hourglass.
Fora esses dois.. nenhum zelda tem qualquer ligação com outro zelda. São zeldas diferentes, links diferentes, etc...

Thyago disse...

eu sei, mas quer uma franquia q tem mais jogos do que qualquer outra? XD

Eduardo disse...

"eu sei, mas quer uma franquia q tem mais jogos do que qualquer outra? XD"

Final Fantasy
xD

Demitri disse...

Desculpe mas o autor deste artigo não entende nada sobre games... nem como fazer uma simples pesquisa para fazer um artigo no Google.
Começando por Eathworm Jim, este game teve um sequencia chamada "EarthWorm Jim 2" e u m outro game para Nintendo 64 (provavel que tenha para PSX tbm).
E mais, certos games não tem como ressucitar. Como fazer um game com uma temática totalmente década de 80 como "Street of Rage" em pleno Séc. XXI? Poderia dar certo? Sim claro, mas lembre-se o custo de se fazer um game decente hoje em dia que vc entenderá pq as Softhouses não se arriscam em certas coisas... O melhor mesmo é fazer um simples Remake com alguns extras...

Thyago disse...

ai ai... sim, eu sei q earthworm jim teve uma sequência no SNES mesmo.
Streets of Rage é anos 90.
E podemos ter um Beat 'em up dele de volta outra vez, jogos como God of War são a perfeita evolução do Beat 'em up.

o objetivo do artigo é mostrar franquias que foram completamente esquecidas pelas softhouses e que poderiam tranquilamente serem trazidas de volta, qdo falei de earthworm jim, quis falar da franquia como um todo no caso dele.

Gabriel disse...

Esperava o Demon's Crest nessa lista. Também já me perguntei porque daibos a Capcom simplesmente deixou de lado um dos seus melhores personagens. Uma sequência de Demon's Crest daria um ótimo adventure em 3D!

ActRaiser é outro. Nunca zerei, nem joguei o 2, mas acho um jogo sensacional.

O EarthWorm Jim chegou até o N64, mas considero que morreu no SNES mesmo. Lamentavelmente. Jim era genial!

Thyago disse...

pronto, adicionado que earthworm jim teve uma sequência no SNES e uma no N64 que ng nem ligou.

Flavio disse...

A vaca que o Earthworm Jim lança no começo aparece no final do game. :D
http://www.youtube.com/watch?v=voqmzuxGX4E

fabiodrago disse...

Ainda tenho esperanças de ver uma sequência para Kid Chameleon...