domingo, maio 17, 2009

Entrevista com as Girls of War!

Bem pessoal, nós do Cidadão Kang (só eu na verdade, mas deixa quieto) realizamos uma entrevista com as lindas e chutadoras de bundas noobs, Rebeca, Bruna, Carla, Clarice e Vivi, as Girls of War!


(só falta a foto da Rebeca aí nesse time :P)

Clica no "Postagem Completa" para você dar uma olhadinha nesta entrevista.

Como o blog Girls of War começou? Partiu de quem a idéia de criar o blog?

Clarice: O Girls of War começou quando a Carlinha e a Bruna se juntaram para fazer um blog só de games. Melhor a Carlinha responder ;)

Bruna:
No início, eu tinha um outro blog, no qual escrevia com alguns garotos. Era o Geração Bit, atualmente desativado. A Carla possuia o Gamer Chick. Comecei a escrever na EGM Brasil, e fui conhecendo pessoas da área de games. Um certo dia, a Carla entrou para a EGM Brasil também e começamos a ter contato. Até que ela me perguntou "Você aceitaria fazer um blog comigo, sobre games só de mulheres que jogam?" Aceitei na hora. Pensamos no nome, e recebemos várias sugestões, até que um amigo indicou Girls of War, e ficou perfeito! Mostrava que era um blog feito por mulheres e que parecia com Gears of War, no nome. Com o tempo de blog, apareceu a Clarice, depois a Vivi e finalmente a Rebeca! =D

Carla:
O Girls of War começou quando eu e a Bruna resolvemos unir nossa vontade de escrever sobre games em um blog só de meninas. Nada contra os garotos, mas a gente achou que seria legal um blog de games escrito por meninas para diversificar um pouco. A ideia foi minha mas ela jamais poderia ser executada se não fosse pela minha prima de consideração que topou o projeto!

Vivi:
Na verdade o blog começou com a Carla e a Bruna, que já se conheciam da EGM. Eu fui a quarta integrante da equipe insana, depois da Clá.

Como vocês se conheceram?


(Bruna)

Rebeca:Conheci as meninas através do próprio blog! Descobri o Girls of War e comecei a visitar freqüentemente. Nunca fui muito de ler blogs sobre games (buscava informação em sites e revistas especializadas), mas fiquei encantada com a idéia de mulheres legais e inteligentes, que realmente entendem de videogame, escrevendo sobre o assunto. Daí rolou aquela progressão básica "comenta no blog - pega email da galera - pega orkut - pega msn - etc" e fomos virando amigas.

Clarice: Eu conheci a Carlinha no orkut, quando ela estava procurando alguém pra entrar no GoW. Quando eu vi que era a Carla Rodrigues da EGM, quase tive um treco!!!(rs)Mandei pra ela o link do blog - porco por sinal - sobre games q eu tinha, ela me pediu pra escrever algo,e etamos aí até hoje...rs

Bruna: Nos conhecemos através de outros dessa esfera gamístca. COnhece um aqui, outro ali, e até que eu e a Carla nos encontramos. A Clarice e a Vivi conehceram nosso blog e mostraram que tinham muita vontade de escrever nele. Pedimos que elas mandassem textos, analisamos, e gostamos! A Rebeca, como já conheciamos os textos, convidamos para ser a última Girl of War! Estamos aí nessa guerra agora =D

Carla: Eu e a Bruna nos conhecemos através da EGM Brasil. Nós duas eramos redatoras da revista em 2008 e começamos a conversar por msn. A Clá respondeu uma mensagem minha em alguma comunidade do orkut buscando meninas para escreverem no blog. A Vivi mandou um email pra gente contando que ela gostaria de escrever sobre RPG, já que nenhuma de nós eramos especializadas no assunto e achamos ótima ideia. A Bebs era a nossa top comentarista há um bom tempo e aí resolvemos convida-la para fazer parte da trupe!

Vivi:
Nós nunca nos vimos pessoalmente (que triste!), mas, pelo menos no meu caso, conheci o blog por meio de uma comunidade de games no orkut! Aí mandei um review meu para as meninas, elas me adotaram e estou eu levando entretenimento gamer psycho para os leitores até hoje! rss

É verdade que mulheres recebem um "tratamento especial" quando vão comprar jogos? É algo bom ou ruim?



Rebeca: No meu caso eu nunca senti um tratamento diferente no sentido negativo, pois a loja em que compro games é uma que freqüento desde pequena, quando ia com meu irmão. Então cresci comprando lá e o pessoal sempre foi acostumado. Claro que, ao longo dos anos, os vendedores foram mudando, mas eles nunca demonstraram estranheza com clientes femininas. A única situação engraçada foi numa vez em que comprei um game em outro lugar. O vendedor, que obviamente tinha subestimado meu conhecimento do assunto, começou a me falar sobre os jogos que eu tava olhando, como se explica para uma criança que está dando as primeiras investidas no universo do videogame. Ele acabou ficando com a maior cara de "WTH?" quando comecei a demonstrar que sabia muito bem do que ele estava falando. xD

Clarice: Depende da loja: em loja você recebe toda atenção e o carinho do mundo, e tem loja que eu sou esnobada por ser mulher e acham que eu caí de paraquedas lá!!

Bruna: Bem, na verdade não é um tratamento especial! Normalmente é um tratamento do tipo "Nossa, uma mulher comprando jogos? Será que não é para o namorado? O irmão?" Dá pra perceber no tipo de olhar que jogam na gente quando estamos na parte de games, e não na de canetinhas, agendas, maquiagem, roupas hahahahah! Segredinho: odeio comprar roupas, sapatos, bolsas! ODEIO andar em shoppings para isso!

Carla: Infelizmente é verdade. A não ser quando eu sou muito direta e pergunto "quanto é tal jogo" e eles respondem na lata, sempre tentam enrolar um pouco. Falam que eu também vou gostar de "tal jogo" que é parecido com o jogo que eu estava procurando mas não tinha, e na maioria dos casos não tem nada a ver. Lógico que não são todos, mas a maioria. Há umas duas semanas mesmo um vendedor riu de mim porque eu estava querendo comprar o Guitar Hero: Aerosmith. Ele disse rindo "Mas já tem muitos outros lançamentos depois dele", aí eu fui grossa, respondi "Eu perguntei isso?" ele parou de rir, ficou sem graça e disse que não estava disponível na loja.

Vivi: Olha, o melhor "tratamento especial" que eu adoraria ter seria um descontão em algum game! Mas como isso nunca aconteceu (rss), numca passei por nada do tipo. Simplesmente entro na loja, escolho o game, dou umas dicas pro vendedor (que geralmente não entende nada), compro e vou embora! rss

Qual é a reação dos homens quando vocês dizem que curtem games? São reações mais positivas que negativas?


(Carla)

Rebeca: Nunca cheguei a sentir reações negativas, mas vejo que eles ficam ultra surpresos quando demonstro não apenas gostar, mas gostar MUITO e entender de games.

Clarice: A maior parte das vezes é positiva! Um dia fui trabalhar no estande da loja de games de um amigo meu em um evento em outra cidade, que os meninos estavam jogando a Demo de Devil May Cry 4 e não conseguiam matar o primeiro chefe do jogo. Eu tava com a mão "coçando" de vontade de jogar e o meu namorado, que estava tomando conta dos meninos, segurou o controle e me chamou. Eu não vi, mas a minha amiga que estava trabalhando comigo falou que aglomerou um monte de meninos atrás de mim que foi engraçado. E o pior é que eu não vi NADA! Vira e mexe quando jogo na loja acontece isso tb. Mas sempre tem os engraçadinhos que entram no blog falando que nosso lugar é na cozinha, passando roupa ou no tanque, e bla bla bla.

Bruna: Antigamente era bem negativa! Falavam que mulher não sabe jogar, não tem coordenação, só joga os bobinhos! Mas com o tempo isto vem mudando! E é o que buscamos também. Mostrar que sabemos e entendemos de jogos. Estamos por dentro dos assuntos, corremos atrás de entrevistas e melhoras. E com isso, incentivamos outras gamer girls a não terem mais vergonha de falar que jogam mesmo! Vou para o trabalho de ônibus, levo meu DS e muitos ficam olhando de lado, disfarçando! Aqui em Brasília é difícil ver isso! Mas com o tempo estão mudando essas reações.

Carla: Positivas. Todo mundo faz a brincaderinha "mas você joga o que? Jogo da Barbie ha ha ha" mas é só levar na boa "Não, não é o jogo da Barbie. É equele lá que eu arranco a sua cabeça com um tiro só enquanto você fica procurando "qual é o botão que corre" no controle". Brincaderinha, não sou agressiva assim! Mas a maioria dos meninos acha legal, se convida pra jogar junto ou contra, fica conversando com você sobre jogos e por aí vai.

Vivi:
A maioria fica supreso, até porque não tenho muito cara de quem gosta de games (pelo menos é o que muita gente diz). Mas o pessoal até curte e meus amigos adoram!

Existe preconceito com as mulheres no meio jornalístico que trata de games?


Rebeca: Esta parte eu deixo para as profissionais do blog responderem, já que não sou jornalista e faz pouco tempo que escrevo sobre games. =)

Clarice: Até agora não vi nada relacionado a isso. Somos tratadas que nem os homens na área.

Bruna: Não vejo esse preconceito não. Antigamente podia existir! Certa vez entrevistei a Renata Honorato e ela me disse que às vezes passava por um ou outro, mas era raro. Eu mesma só passei raríssimas vezes! Pode ser pessoas com inveja, outras querendo nos rebaixar, mas normalmente não acontece.

Carla: Sempre vai ter alguém com um pouco de preconceito, mas 99% das pessoas que eu conheço não tem não. As vezes você ouve alguém falar "mas esse jogo é de menino", aí basta dar uma olhada torta que as pessoas se mancam, sabe? Eu jogo qualquer coisa, tenho videogames desde pequena, amo o assunto então não tem porque ter preconceito. A verdade é que nós temos muito mais apoio e incentivo do que preconceito no meio jornalístico.

Vivi: Nesse meio, nunca sofri preconceito. Do contrário, o pessoal sempre me deu muita força. Mas preconceito sempre tem, especialmente dos caras que se sentem ameaçados com aquele pensamento neandertal de que "não pode perder pra menina".

Como vocês encaram a atual geração de games em comparação com as anteriores?


(Clarice e seu arrumado quarto)

Rebeca: Eu acho super bacana o nível de realismo e complexidade dos games atuais. Mas como boa old gamer que sou, não consigo enxergar a mesma magia que via nos antigos. Era tudo mais simples, porém mais divertido. Jogar videogame era relaxar. Já hoje, jogar é como realizar uma missão. Há muito jogos que nos deixam meio tensos, pois ficamos perdidos num mar de possibilidades e atributos relativos aos personagens, tendo que descobrir a melhor maneira de configurá-lo pra garantir sucesso no jogo. Sem contar os 50 milhões de opções dos menus complexos, que gastamos boa parte do início do jogo tentando assimilar. xD

Clarice: Muitos jogos estão lindos de morrer, super realistas, isso é fato. Mas que adianta ter tudo isso se o enredo do jogo é parecido com um outro lançado há alguns meses? Não sei, gosto muito dos jogos da geração atual, mas os antigos eram mais desafiadores e inovadores, sei lá.

Bruna: Esses dias eu estava pensando que há 15 anos, os jogos ainda super coloridinhosm 2D, curtos, mas claro, sempre inovadores e dinâmicos. Nos dias atuais, vemos jogos tão realistas que mal acreditamos que tivemos uma evolução tão grande em tão pouco tempo. São jogos que retratam pessoas, ambientes e tudo mais exatamente como são. Os pequenos detalhes que fazem diferenças. Os procedimentos para captura movimentos de um jogo de luta, por exemplo. Cada dia que passa evolui mais, e eu penso: "Imagina daqui uns 30 anos, como estará a tecnologia nos games" EU estou achando tudo isso muito bom! Quero chegar pros meus filhos, e explicar como foi o primeiro jogo, os que marcaram minha adolescencia, e tudo mais!
Carla: Acho que a atual geração é dividida nos que começaram jogando nos primeiros consoles dos anos 80 e na garotada que está começando agora com os consoles de nova geração e não jogou os antigos. Acho que a garotada que começou agora tem muitas opções, é bem informada, vai atrás das informações dos jogos mas seria muito legal se eles tivessem acompanhado a evolução que nem a gente. Poxa, quando eu era pequena jogava Atari, quando eu era pré-adolescente o N64 e por aí vai. Isso também ajuda a ter mais "noção" do que você esta jogando hoje em dia porque você sabe como as coisas evoluiram pra chegar nesse ponto. Mas não que seja obrigatório. Acho que quem gosta mesmo de games vai atrás, pesquisa, lê sobre o assunto e torna isso parte do dia a dia.

Vivi: Ah... Tenho orgulho de dizer que fui da geração Atari, Mater System, Mega Drive e SNES. Acho que naquela época o pessoal era mais unido para jogar. Sei lá, pelo menos meus amigos e eu marcávamos na casa de alguém e passávamos uma tarde jogando, tomando coca-cola e comendo pipoca! rss... Mas é claro que eu amo essa nova geração de jogos também! Até porque os melhores jogos da minha vida são dessa época!

Qual a opinião de vocês quanto à exclusividades de jogos para determinados consoles?


(Vivi)

Rebeca: Lá no âmago eu desejaria que todos os games fossem multiplataforma, pra eu não ficar frustrada quando um jogo que quero muito não sai pro meu videogame! rsrsrsrs
Mas pensando racionalmente, essa prática impulsiona ainda mais a disputa por mercado, o que sempre é bom para os consumidores, já que empresas que enfrentam concorrência acirrada procuram estratégias para agradar os clientes e não perdê-los para rivais.

Clarice: Isso sempre teve, mas tem hora que dá no saco. Não acho justo sermos obrigados a comprar um console caríssimo por causa de UM JOGO! Não dá! Ontem, por exemplo, fiquei doida pra jogar Castle Crashers que vi em um Top 10 do Screw Attack. Mas para minha surpresa - ou infelicidade - ele é exclusivo do Xbox 360... Tudo bem, vou comprar mais pra frente, mas eu não compraria o console só pra jogar isso. =/

Bruna: Não acho bom, porque obriga você a ter todos os consoles da nova geração. Para jogar God of War,você tem que ter um Playstation 2, Playstation 3 ou PSP, dependendo de qual God of War você irájogar. Agora se você quer jogar Halo, só em Xbox, Xbox 360 ou PCs. Não gosto muito de exclusividades, mas se não existisse, também não existiria concorrência.

Carla: Mancada. Eu acho muito divertido tirar sarro dos meus amigos sonystas assim como eles amam tirar sarro de mim quando alguma coisa exclusiva sai, mas no fundo tanto eu quanto eles adoraríamos jogar os jogos exclusivos nos nossos consoles.

Vivi: Uma sacanagem de marca maior! Até porque como só jogo no PC tenho que ficar amargando meses incontáveis por um possível lançamento para computador!!! Ainda estou na esperança de Fable II !

Que jogo antigo vocês gostariam que fosse ressucitado na atual geração, com toda esta onda de "remakes"?


(Rebeca)

Rebeca: Shadow Dancer! É o jogo que mais gosto da série Shinobi, e um dos meus favoritos ever! Mas confesso que tenho medo desses remakes, muitas vezes fazem umas belas porcarias.

Clarice: Devil Crash. Tudo bem que o jogo é pinball, mas seria legal uma mesa toda refeita, com uns monstros mais realistas e mais detalhada.

Bruna: Donkey Kong, com certeza! Seria o máximo!
Carla: Sonic the Hedgehog com o mesmo gráfico do primeirão, como fizeram com Mega Man 9 é meu sonho. Mas eu também queria ver um Altered Beast legal.

Vivi: Pitfall, do Atari, e depois do Mega Drive! Cara esse joguinho é muuuuito legal!

Quando vocês vão a alguma convenção de games, são muito assediadas?

Rebeca: Eu nunca fui a uma convenção específica de games, aqui em Brasília não tem. E nas vezes em que fui a convenções de anime/mangá (onde geralmente vão muitos gamers), eu ainda não era uma Girl of War. Então nunca passei por assédio.

Clarice: Por sermos do GoW? Por enquanto ninguém me conhece(rs), mas ando com a impressão que tem alguns meninos da minha faculdade que lêem o blog: eles me olham de um jeito meio estranho, como se conhecesse,sabe? Mas ficam quietos na deles.(rs)

Bruna: Eu pelo menos não! Parece que os garotos ficam com vergonha. Mas claro, não somos nenhuma celebridade como a Madonna. Foi engraçado no Video Games Live de 2008. Somente uma pessoa falou comigo, que também escreve sobre games, mas eu nao conhecia. Depois, recebi vários scraps no Orkut de pessoas falando que me viram, mas ficaram com vergonha de falar hehehe!

Carla: Que nadies. Até hoje só uma pessoa me reconheceu e nem foi em convenção, foi em uma festa de aniversário. E o cara estava bêbado e me alugou a festa inteira hahaha. Mas foi engraçado.

Vivi:
Bom, um pouco, até porque não tem muitas mulheres que vão a esses lugares! rss...

Que dicas vocês dariam aos homens que querem ter suas namoradas não-gamers como companheiras gamers?



Rebeca: Não sou muito a favor de ficar influenciando o outro. Se a mulher não gosta de videogame de jeito nenhum, não fique forçando! rs É até bacana o casal ter hobbies em comum e hobbies individuais, pra não ficar o tempo todo grudado! (Sim gente, grude é um saco! rsrs)
Mas se você sente que sua namorada simpatiza com games, ou pelo menos não tem nada contra, pode armar uns programinhas caseiros que envolvam videogame como uma das opções, como fazer um jantar em casa e depois tomar um vinho, convidando-a a experimentar jogar um pouco de videogame, só pela brincadeira de fazer algo diferente. Mas coloque jogos com temáticas mais simples e divertidas, pois a intenção é passar momentos agradáveis de relax com a dita-cuja, não convertê-la em uma hardcore gamer do dia pra noite! Aí, aos poucos, quem sabe ela não vai tomando gosto pela coisa e acaba virando companheira gamer? ;-D

Clarice: Começa com jogos simples, ou peça pra ela assistir você jogando: uma hora ela vai ficar curiosa pra tentar. Mas agora, se a namorada não suporta game, NÃO FORÇA! É um direito dela de não gostar, mas acho que um dia ela cede.

Bruna: Não force elas a ficar assistindo jogos de futebol nem de matança, nem force-as a jogar essas coisas. Caso ela não jogue nada,comece com um joguinho que a agrade, tipo, se ela gosta de cachorros, mostre Nintendogs. Se gosta de casa,sonha em mobílias lindas, mostre The Sims. Músicas? Guitar Hero e Rock Band. Agora se ela for estressada e pshyco como a Viviane, coloque logo algo com muito sangue hehehe!

Carla: Peçam para ela jogar um jogo coop com você! Mas façam o maior drama combinado com carinha de cachorro abandonado, como se a vida de vocês dependesse da boa vontade dela jogar coop com você. Depois que ela jogar, vai achar tão legal que vai querer fazer mais vezes e com outros jogos!

Vivi: Começe com jogos mais simples e que não assustem. Nada de colocar a pobre alma para encarar um Dead Space logo de cara. E é claro, converse com ela. Mostre que os games podem ser uma ótima forma de entretenimento.

Eu farei uma pergunta agora e você responderá com a primeira coisa relacionada à pergunta que vier à sua mente.

Um Jogo?

Rebeca: Super Castlevania IV
Clarice: Castlevania

Bruna: God of War

Carla: Guitar Hero-Rock Band (desculpa, não consigo separar)

Vivi:
The Elder Scrolls IV: Oblivion

Um Boss?

Rebeca: The Boss - MGS3

Clarice: Big Boss

Bruna: Nicchae - Ninja Gaiden: Dragon Sword

Carla: Dr. Robotnik (eu e minha irmã nos escondiamos atras da cama quando ele aparecia com aquela música na terceira fase da Green Hill Zone)

Vivi: Nemesis

Uma Pessoa?

Rebeca: Hideo Kojima.

Clarice: David Hayter (dublador Solid Snake)
Bruna: Minha mãe

Carla: Papis.

Vivi:
Kojima

Um Console?

Rebeca: Super Nintendo!

Clarice: Super NES

Bruna: Não pode ser todos? Rs... Xbox 360 (ainda não tenho,mas quero muito)

Carla: Wii (hahaha, mentira, claro). Xbox 360.

Vivi:
Mega Drive

Pra finalizar, algum recado para os leitores do blog?

Rebeca: Um beijo, um queijo e muitos games pra vocês! xD

Bruna: Muito obrigada pelo carinho de todos vocês! Sem os comentários de pesoas como vocês, não estariamos crescendo! Somos uma grande equipe, que necessita um do outro para continuar a percorrer o caminho! Valeu mesmo, e desejo a todos muitos games para o resto de suas vidas! Beijão!

Clarice: Sejam gamers... SEMPRE! Não deixem de ter afazeres, mas não largue o seu hobby ou sua paixão de jogar videogame. Quem manda na sua vida é VOCÊ, e mais ninguém... isso é, se você tem mais de 18 anos...ehehehe

Carla: Muitos recados para os leitores do blog! Gostaria de agradecer pelo apoio, pelos comentários sempre muito bem vindos e pelas sugestões que são pensadas com tanto carinho por vocês. Se não fossem por vocês, o blog com certeza não seria o que é hoje.
Continuem lendo porque a gente promete que a tendencia é só melhorar!! Cada vez mais maluquice psicopata da Vivi, as últimas novidades old school da Clá, as melhores entrevistas com a Bebs, as informações mais sexys e gamers do mundo da Bruna e muito rock n' roll no que depender de mim!

Vivi: Os jogos são ótimas fontes de aliviar a TPM. Sempre que estou nesse processo de "Treinada Para Matar", ligo o Fallout 3 e dou uns belos e apetitosos headshots!!! Ahahaha....

Muito obrigado por ter concedido esta entrevista para nós do Cidadão Kang meninas! Desejamos sucesso para todas vocês e continuem fazendo o excelente trabalho no seu blog, com a personalidade e conteúdo que é característico de cada uma de vocês!

Caso você AINDA não conheça o blog das Girls of War, pode acessá-lo clicando aqui.

Até!

4 comentários:

Bebs disse...

A Vivi pensou no Nemesis! hahahah
(E pensou no Kojima, que nem eu!)

As meninas mandaram recados super bonitos no final... e eu, total sem inspiração, mandei um beijo e um queijo, aff. hauahuahuah xD

Que lindooo, Thy! Valeu pelo apoio de sempre, você é muito querido por nós, viu?!

E pessoal do Cidadão Kang, parabéns pelo blog, com conteúdos diversificados e abordados de forma inteligente! =D

cinefilapornatureza disse...

Parabéns pela entrevista, que ficou excelente!!

Renan disse...

Ficou ótima a entrevista.
Toda vez que vejo fotos das Girls, eu me apaixono mais.
Espero um dia conseguir uma namorada assim "já de fábrica": Linda,inteligente e gamer. Vou ocmeçar a procura.

Eduardomsc disse...

que triste,a Carla não gosta do Wii XD


bela entrevista Thyago,parabéns cara !